domingo, 19 de novembro de 2017

FIGUEIRA, UMA DAS ALDEIAS DE XISTO

Hoje na companhia do Zé Almeida fui até á Figueira, uma bela aldeia que faz parte do grupo das Aldeias de Xisto.


Já lá tinha passado de bike mas é sempre bom regressar para ver aquela beleza, gosto muito das aldeias de xisto, gosto das casinhas bem arranjadinhas e as ruelas estreitinhas, maravilha..

Sai de casa e fui ter com o Zé Almeida, ele veio de Pedrogão no seu carrito até á Sertã, á hora combinada lá estava ele pronto para mais umas pedaladas nesta manhã bem fresquinha..

Saímos da Sertã e fomos até á Portela dos Bezerrins, seguimos em frente até ao Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga..


Aqui a coisa já ia mais quentinha, passamos a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna e começamos a bela subida, esta ia sabem bem, era para aquecer um bocadinho...

Fomos subida fora sempre na conversa, sempre nas calmas e sem grandes pressas, passamos Carvalhal e com mais umas pedaladas entramos em Proença-a-Nova..
Não paramos, ainda era cedo, decidimos parar lá mais pra frente para comer alguma coisa, depois de Proença descemos pelo Vale Porco e Pontão do Laranjeiro, foi sempre a bombar...


Cortamos á esquerda passamos Vale D´Urso, Pucariço e chegamos á Sobreira Formosa, aqui cafés ainda fechados, lá seguimos á direita e fomos até á aldeia da Figueira..


Chegamos á bela aldeia da Figueira e ali nos entretemos um pouco a passear pelas belas ruelas, tudo bem arranjadinho e umas belas casinhas de xisto, muito bom gosto...
Depois de tudo bem mirado seguimos por uma ruela, mas ao fundo era de terra batida, diz o Zé vamos lá que até tem bom aspeto, a estrada é logo ali á frente...


Foi fixe aquele bocadinho, já no alcatrão seguimos á direita e subimos até ás Moitas, fizemos uma paragem num café no meio da aldeia para comer alguma coisa.
A senhora do café disse que não tinha pão para fazer umas sandes, seguimos então e fomos até ao Café da Baleia Azul lá no alto...

Aqui sim comemos uma bela sandoxa acompanhada de um belo suminho, foi mesmo á maneira, a barriga já precisava de uma comidinha..


Já mais satisfeito seguimos com  a voltinha, descemos um pouco até ao cruzamento do IC 8 e cortamos á esquerda em direção do Caniçal Cimeiro..

O dia estava um espetáculo para dar umas pedaladas, no começo a coisa estava bem fresca mas depois com o solinho estava mesmo á maneira...


Depois do Caniçal Cimeiro passamos Caniçal Fundeiro, Vale da Carreira e  Mesão Frio, um pouco mais á frente antes de Arganil cortamos á direita e fomos até á aldeia da Roda..


Uma boa subidinha para lá chegar, passamos na Roda e fomos até Cardigos, ali encontramos muita gente, domingo é dia de missa e aquela hora estavam todos a sair...


Passamos pelo meio de Cardigos passamos ao lado do Azinhal e lá seguimos mais um pouco até ao cruzamento de São João do Peso..

O Zé Almeida tinha um compromisso em São João do Peso, despedi-me dele e cada um foi á sua vidinha, despedidas feitas continuei e desci até á Ponte que passa por cima da Ribeira da Isna...


Depois da ponte subi até ás Cortes, desci mais um pouco até á Ribeira da Tamolha e subi até ao Vale Cortiço...


Como ainda tinha tempo segui em frente, passei pela Junceira e desci até á Sertã, fui até á Alameda da Carvalha dar uma vista de olhos á feira de velharias que ali estava a decorrer...

Com as horas a passar continuei e subi até á Mougueira, cheguei a casa depois de mais uma bela voltinha na companhia do Zé Almeida nesta manhã de domingo bem amena...

E assim foi mais uma voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




sexta-feira, 17 de novembro de 2017

MALHA PÃO

Vamos lá dar umas pedaladas para terminar bem a semana, está um frio bem fresquinho, só é pena não vir a chuva, faz cá muita falta para por as ribeiras a correr e encher as barragens...

Sai de casa e subi até á Portela dos Bezerrins, cortei á direita e fui pelo Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Vaquinhas Cimeiras e Bela Vista..


Aqui já ia mais quentinho, as pedaladas já deram para aquecer um bocadinho, fui até á Cumeada e já mais rolante lá passei pelo Casal do Calvo, Castanheiro Grande, Casal dos Gafos e Valongo..


Um pouco mais á frente nas Mós cortei á direita para a Rolã, aqui já dava para ver o sol a raiar lá ao fundo, passei a aldeia e desci até á Ponte das Cabras, aqui é que estava bem fresquinho...


Cheguei á ponte e estava tudo branquinho, uma bela camadinha de geada, aqui tem que se ter cuidado com a descida, costuma ter algum gelo, e cair ali não dá muito jeito...

Depois da ponte toca a subir até ao alto, a subida soube mesmo bem, passei pelo Vale do Gago e cheguei á Galeguia, já mais quentinho segui pela Felgaria, Lagariça e Nesperal...

Aqui segui em frente até Malha Pão e Alto Ventoso, entrei na estrada que liga Cernache á Sertã e continuei pelo Vale da Lata e Porto da Cruz..


Entrei na Variante e segui até ao Vale Cortiço, cortei á direita para o Casalinho, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha..


Passei a vila já mais movimentada passei pelo Montinho e cheguei á Mougueira depois de mais umas belas pedaladas pela fresca...
E assim foi mais uma bela voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..




quinta-feira, 16 de novembro de 2017

CARVALHEIRA-DONA MARIA

Hoje bem cedinho lá fui dar mais uma voltinha na minha fininha, os dias já acordam bem fresquinhos, a temperatura é bem baixa, tem que se escolher umas subidas para aquecer..


Sai de casa e fui até á Portela dos Bezerrins, aqui segui em frente até ao Moinho do Cabo e Vale do Pereiro, nas baixas estava uma bela camada de geada...


No Vale do Pereiro segui á esquerda para o Pereiro, por uma ligeira subida lá fui até ao Vale da Junca e Fontainhas, no alto já ia mais quentinho...


Parei para ver o sol a querer espreitar lá trás da Serra das Corgas, tirei uma foto e segui viagem, um poco mais á frente cortei á esquerda e entrei no Beirão..


Beirão uma pequena aldeia ali na encosta da serra, passei o empedrado para mexer o esqueleto um pouco, segui um pouco pela direita e lá fui até ao Monte Fundeiro e Carvalheira..

Uma bela estradinha por umas aldeias meio perdidas na encosta da Serra dos Alvelos, aqui a temperatura era bem mais agradável, nas baixas é mais agreste...



Lá fui pedalando e passei Dona Maria, aqui segui pela esquerda e desci até á ponte que passa por cima da Ribeira da Tamolha, a descida foi fresca mas a subida ia dar para aquecer...


Upa Upa até perto da Santinha, cheguei ao alto e cortei á esquerda em direção do Figueiredo, não cheguei entrei na aldeia passei ao lado e continuei até ao alto do Sorvel...



Passei pela bonita estradinha ali á meia encosta, fiz uma paragem para comer uns medronhos, bem bons, segui com as pedaladas e fui até á Várzea dos Cavaleiros..


Como tinha comido uns medronho fiz uma paragem e bebi um cafézinho, foi café e bagaço..ehehehe


Café tomado segui para o resto da voltinha, passei pela Aldeia Velha, Póvoa, Poiares, Ramalhosa, Portela e desci até á Mougueira...

Cheguei a casa satisfeito com mais uma voltinha pela fresca e com o lema de sempre, PEDALAR PARA DESCONTRAIR...


domingo, 12 de novembro de 2017

BICHINHEIRA-ALTO DA CAVA

Domingo dia de voltinha, hoje foi lá para os lados de Oleiros, a volta tinha que ser curta, tinha que estar em casa mais cedo por motivos familiares, assim decidi ir beber um cafézinho a Oleiros..

Sai de casa e desci até á Sertã, fui direitinho á Pastelaria Estrela Doce para beber o café e comer o pastelinho de nata, o gajo é mesmo guloso...ehehehehe


Boca mais doce lá dei inicio á voltinha, para aquecer um bocadinho subi a Rua do Castelo, passei ao lado da Câmara Municipal dos Bombeiros e fui até á Rotunda Rompe Terra...


Aqui cortei á direita e entrei na antiga estrada que segue para Oleiros, lá fui pedalando e passando Casalinho de São Facundo, Barracão, Maxial, Cruz do Fundão, Troviscal, Vale do Inferno e Troviscainho..


A manhã acordou bem fresquinha mas até aqui as subidas já deram para aquecer um pouco, custa sai da cama mas sabe mesmo bem umas pedaladas pela fresca...

Depois do Troviscainho segui e passei Vale da Figueira, Chelhinho, Mosteiro de Oleiros, Lameirinhos do Pisão, Peso Redondo e com mais umas pedaladas cheguei a Oleiros..


Fui até ao Jardim perto da Câmara Municipal e fiz mais uma paragem para beber alguma coisa quentinha no café ali mesmo ao lado, sem grandes pressas ali me entre-ti um pouco...


Depois de umas fotos ao jardim segui a voltinha, passei Ribeiro das Hortas e umas curvas mais á frente fiz uma paragem para comer uns belos medronhos..


Maravilha, foi comer até crer mas nada de abusos se não o control do doping dava positivo..eheheheh


Medronhos na barriga segui e subi mais um pouco até ao Casal Novo, segui em frente e continuei a subir por ai fora, um pouco mais á frente olhei á direita e vi uma estreita estradinha mesmo ali ao lado..
Já a tinha visto e tinha vontade de pedalar nela, hoje foi o dia, voltei a trás até ao Casal Novo cortei á esquerda, desci um pouco e cortei á esquerda em direção de Quartinos.


Um pouco antes de chegar aos Quartinos cortei á esquerda para a bela aldeia de Bichinheira, que nome mais esquisito...eheheeheh


Passei no Casal da Mata e entrei na bendita estradinha que mais parece uma ciclovia, que espetáculo, com uma bela paisagem do lado direito lá fui até á Bichinheira e Corujeira..


Depois da Corujeira é que foi o delas, uma bela subida até á estrada nacional perto do Alto do Cavalo, esta deu para suar um bocadinho..


Já no alto cortei á direita e fui até ao Alto do Cavalo, desci um pouco até ao Alto da Cava e cortei á esquerda em direção da Cruz do Fundão, aqui era bem fixe, era sempre a descer..

Lá segui descida fora e passei Selada da Lameira, Sardinheiras e Cruz do Fundão, segui em frente e fiz o mesmo trajeto agora em sentido inverso até á Sertã...


Entrei na vila e fiz uma paragem no belo Jardim da Carvalha, tirei umas fotos e para terminar subi um pouco até á Mougueira, onde cheguei depois de umas belas pedaladas neste domingo bem fresquinho...
E assim foi mais uma excelente voltinha sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...