segunda-feira, 23 de abril de 2018

AO SABOR DO VENTO

Ontem foi dia de voltinha em linha, tinha que ir até Castelo Branco por motivos familiares, assim aproveitei e fiz a minha viagem até lá de fininha..


Tinha planeado ir mais pelo sul, fazer umas retas com a ajuda do vento, mas tive azar, o vento estava contra e ainda tive que o empurrar durante uns bons kms..


Sai de casa bem cedinho e com vontade de dar ao pedal, fui até á Portela e cortei á direita pelo Salomão, Carrascal, Outeiro das Colheres, Bela Vista, Cumeada e segui pela Nacional 2 até Vila de Rei..


Até aqui já tinha subido um pouco, já ia quentinho, passei pelo meio da vila e fui beber um cafézinho ao Bar o Quiosque, sabe bem um café para aquecer a alma..


Café tomado era hora de seguir viagem, passei pela Portela, Palhota, Amêndoa, Vale de Vacas, Cimo do Vale, Chão de Lopes, Chão de Codes, Pereiro e cheguei á bela vila de Mação..


O dia tinha acordado meio nublado, estava muito cinzento e com cara de chuva, tinha que fugir para não me molhar, mas pelo que via no horizonte ainda ia molhar o fatinho...


Depois de passar Mação segui em direção da Ortiga, encontram-se por ali umas grande retas, não gosto muito mas de vez enquanto sabe bem esticar as pernas...


Mais á frente passei por cima da A23 e desci um pouco até á Ortiga, uma bela paisagem ali com a bonita barragem e o belo Rio Tejo..


Uma maravilha estas voltinhas, rever muitos sítios onde já passei nas minhas pedaladas, continuei e desci mais um pouco até á Barragem, parei para ver as paisagens e tirar umas fotos...



É bom ver as Barragens cheias, a chuva já deu para por as ribeiras a correr e para encher as barragens agora podia vir uns dias de sol para alegrar a malta...


Passei para a outra margem do Rio Tejo e sempre descontraído lá fui indo, passei ao lado da Casa Branca e fui ter á Nacional 18..


Que estrada mais larga, não gosto nada de estradas muito largas, mas depois de passar ao lado do Gavião um pouco mais á frente cortei á direita em direção da Comenda..


Assim sim, uma estradinha mais estreitinha e mais sossegada, fui indo por ai fora e entrei na Comenda, fiz uma paragem no Café o Choupinho para comer alguma coisa..


A barriga já ia a dar sinal, tinha que trincar alguma coisa para ganhar energia para o resto da voltinha, uma bela aldeia pacata ali no meio das grandes planícies...


Barriguinha mais composta segui com as pedaladas, passei pelo Monte da Pedra e fui até Gáfete, entrei um pouco no IP 2 e antes de Alpalhão segui por uma estradinha de serviço ao lado do IP 2..


Naquele bocadinho não se pode circular de bicicleta, temos que passar num caminho mesmo ao lado, até á mais fixe passar por ali, uma estradinha bem castiça...


Passei no meio de Alpalhão e segui em direção de Castelo de Vide, aquela estradinha já minha conhecida numa voltinha com o Zé Almeida, uma vez fomos de Mação até Marvão, ida e volta, essa foi das boas...




Lá fui pedalando sempre a desfrutar as belas paisagens das Planícies Alentejanas, um pouco antes de Castelo de Vide cortei á esquerda e segui até á Barragem de Póvoa e Meadas..


Um belo espelho de água, fiz uma paragem em cima do paredão da barragem tirei umas fotos e ali me enterti um pouco a  mirar a paisagem...


Fotos tiradas segui até á bela Vila de Niza, aqui mais uma paragem para comer alguma coisa, fui até ao Restaurante a Alameda comi um queijinho, comi uma sopinha e bebei uma cervejinha fresquinha...


Foi um belo repasto para ganhar energias para o resto da voltinha, para pedalar tem que se comer, e nada melhor que comer um queijinho de Niza...



Barriga cheia era hora de seguir, quando sai do Restaurante estava a começar a pingar, pensei logo, estou lixado vou molhar o casaco..


Quando comecei a descer para Ribeira de Niza tive que parar e vestir o impermeável, fiz o resto da descida a chover bem, depois da ponte a coisa melhorou um bocadinho..


Fui pedalando nas calmas subida fora, já se via as nuvens a dar a volta, já no alto desci e parei em cima da ponte que passa por cima do Rio Tejo, tinha uma bela panorâmica das Portas de Rodão..


Mais uma foto para recordação, com o tempo a melhorar passei por Vila Velha de Rodão, Coxerro, Serrasqueira e cheguei ás Sarnadas...


Já safo das subidas segui pela Nacional 18 tb conhecido pelo antigo IP 2, quase a terminar a voltinha passei ao lado do Retaxo e mais uma pouco entrei em Castelo Branco..

Bela cidade, nasci lá e passei lá minha infância, estudei e depois emigrei para o Robalo com os meus pais, a vida tem destas coisas...
Cheguei a Castelo Branco depois de umas belas pedaladas num domingo meio nublado, mesmo assim tive sorte com o tempo, a chuva foi minha amiga, foi só um bocadinho para arrefecer o motor..


Mais uma bela voltinha com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...






quinta-feira, 19 de abril de 2018

VERGÃO

Quinta feira dia de mais umas pedaladas, os dias mais longos dá mesmo vontade de sair e ir pedalar por umas estradinhas mais recatadas..

Sai de casa subi até á Portela e segui por ai fora, passei Moinho do Cabo, Vale do Pereiro, Moinho Branco e Maljoga..


Passei a ponte que passa por cima da Ribeira da Isna e subi até ao Carvalhal, com mais umas pedaladas segui pela direita até ás Cimadas Cimeiras..

No alto já dava para ver o sol a nascer lá atrás da Serra das Corgas, mais um dia a ver o nascer do sol, maravilha estas voltinhas..
Passei depois pelas Cimadas Fundeiras e Vergão, na aldeia e não se via ninguém, estava tudo recolhido, continuei ligeiramente á direita e fui até á aldeia do Rafael...


Uma pequena aldeia nas margens da Ribeira da Isna, passei pelos Pisões e lá fui pela bela subida até aos Vales da Longra..



Já no alto bem quentinho e com uma temperatura bem agradável fui até ao Marmeleiro, continuei pela Ribeira da Tamolha e Vale da Cortiçada..


Quase a terminar a voltinha continuei pela Junceira e desci até á Venda da Pedra, entrei na Sertã e para acabar a voltinha foi subir até á Mougueira..
Assim foram mais umas pedaladas com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..





terça-feira, 17 de abril de 2018

CHARNECA

Mais uma ficha e mais uma voltinha, tempo bom não se pode desperdiçar, temos que aproveitar e dar umas voltinhas para refrescar a cabeça..


Sai de casa e fui até á Sertã ainda muito sossegada, aquela hora ainda está tudo a dormir, segui até á Rotunda da Eirinha e para aquecer subi pelo Alto do Boeiro e Olival..

Mais quentinho segui pelo Outeiro da Lagoa, Lameira da Lagoa, Ponte do Robalo, Nesperal, Vale Matias Afonso, Paparia e Cernache do Bonjardim..


O dia acordou fresco mas o solinho já lá vinha a espreitar, sabe mesmo bem estas voltinhas, quando acordei estava-se bem no quentinho mas a vontade de ir pedalar era muita, boraaaaaa...


Passei Cernache e Roda, cortei depois á direita e subi até á capela de Santa Maria Madalena, cheguei ao alto e deparei-me com uma espetacular paisagem...


O sol a nascer e um mar de nuvens foi a recompensa de levantar cedo, ali estive um bom bocadinho a desfrutar aquela maravilha...


Tirei umas fotos e segui viagem, desci até Cernache e continuei pelo Alto Ventoso, Vale da Lata, Porto da Cruz e Vale Cortiço..


Uma breve paragem para beber um café no Café a Esplanada, sabe sempre bem ingerir um pouco de cafeina logo cedo...


Café tomado continuei pelo Casalinho e Tapada, cortei á esquerda para o Salgueiral, Codiceirinha, Codiceira e Charneca, bela estradinha bem sossegada.....


Subi um pouco e cheguei á Zona Industrial, passei por São João do Couto e entrei na Sertã, para terminar subi pelo Montinho e cheguei á Mougueira..
Cheguei satisfeito com mais uma bela voltinha bem cedinho sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR..





domingo, 15 de abril de 2018

ALTO DA CAVA

Hoje foi dia de voltinha ao fim do dia, de manhã não deu para pedalar por motivos familiares mas de tarde tive que arranjar um bocadinho para ir esticar as perninhas...

Com o tempo meio baralhado e com cara de chuva lá fui dar umas pedaladas, sai de casa e fui até á Sertã, segui pela Rua do Castelo e passei pela Câmara Municipal e pelos Bombeiros..

O céu escuro era sinal de chuva, ainda ia molhar o casaco, mas que se lixe, continuei pela Rotunda do Rompe Terra e cortei á direita para o Casalinho de São Fagundo, Barracão, Maxial e Cruz do Fundão...


Tinha planeado ir até ao Alto da Cava, no meio da Cruz do Fundão segui á esquerda e tinha uma boa subida pela frente, um pouco longa mas sem grande inclinação...


Passei Sardinheira e Selada da Lameira, aqui mais uma vez tive a companhia de um canino, sempre que ali passo faz-me companhia uns belos kms, o cachorrinho é um castiço...

Lá fomos subindo sempre descontraídos, perto da fonte o bicho cansou-se, tive que seguir viagem sozinho, uns km mais á frente passou um javali mesmo á minha frente, belo bicho...

Lá passou ele encosta abaixo a bufar, continuei e mais umas pedaladas cheguei ao Alto da Cava, aqui começou a pingar, pensei logo é agora que molho o fatinho, mas safei-me...


Segui á esquerda para uma longa descida até perto da Madeirã, lá fui indo a fugir da chuva, passei ao lado da Madeirã do Bravo e Póvoa da Alegria..


Depois da descida e por uma sobe e desce passei pelo Vale da Galega, Pedrogão Pequeno, Painho, Vale da Froca, Amiera, Ramalhos, Casal da Escusa, Povoa da Ribeira Cerdeira e Vale Cortiço..


Fiz uma breve paragem para beber alguma coisa no Café a Esplanada, entrei e estava tudo entretido a ver o futebol, era só malta nervosa, até dava vontade de rir...


Depois da bebida segui para o resto da voltinha, passei pelo Casalinho, Tapada, Aveleira, Alto da Carreira, Zona Industrial, São João do Couto e entrei na Sertã pela Rotunda da Eirinha..


Passei a vila muito calma, passei no Jardim da Carvalha subi pelo Montinho e cheguei á Mougueira depois de uma excelente voltinha na minha fininha...

E assim foram mais umas pedaladas sempre com o lema PEDALAR PARA DESCONTRAIR...